blog

Startups: O que são e como começar uma!

Startups: O que são e como começar uma!

Em um tempo de mudanças rápidas e constantes, as empresas e o mercado precisaram se adaptar. Assim, se antes empresas tinham um longo período de vida e demoravam a crescer e se desenvolver, hoje as Startups vem com o propósito de serem inovadoras. Além disso, eles crescem rápido e se adaptam à mudanças repentinas, precisando se organizar desde cedo. Desse modo, essas empresas tem se tornado cada vez mais comuns e podem ser ajudadas e incentivadas e diversas maneiras logo no seu início. 

O que são Startups?

As Startups foram popularizadas na bolha da internet, no fim dos anos 90 e início dos anos 2000. Sendo que sempre foram vistas nos Estados Unidos como um grupo de pessoas trabalhando uma ideia diferente. Nesse sentido, o grupo se junta, iniciando uma empresa ao qual acredita que poderá render dinheiro em algum momento.


Em que áreas Startups atuam?

Uma dúvida comum é se para ser uma startup precisa estar no mundo digital, e a resposta é que depende. Uma startup resolve problemas através da inovação e tecnologia, podendo estar ou não no mundo digital. Hoje temos exemplos em diversos setores, empresas que estão envolvidas no mundo digital e outras que não estão. Uber, no setor de transportes, Airbnb, no setor hoteleiro, Nubank, no setor financeiro e a Amazon, no setor varejista. A lista se estende a empresas que não atuam no mundo digital, como a Enercred, empresa brasileira no setor de energia, e a NIO, empresa chinesa de carros elétricos.

Com isso, apesar de haver áreas mais comuns e conhecidas, fica claro que não há setores específicos em que startups podem atuar. O único “requisito” é utilizar inovação e tecnologia para resolver um problema, podendo repetir seus resultados em larga escala, sem que seus custos aumentem significativamente.

Como começar uma Startup?

Todo início de uma ideia é difícil, com Startups não seria diferente, e há alguns passos básicos a serem seguidos. E, como já dito e repetido, é de extrema importância que a inovação esteja presente na solução e/ou produto que a empresa pretende entregar. A equipe deve então buscar se informar sobre iniciativas já existentes no mercado e sobre possíveis tentativas já realizadas. Após isso, começa-se a entender o que sua empresa vai fazer, qual problema ela pretende resolver, para quem e como isso será feito. Essa etapa pode ser feita de várias formas, como a construção de um Bussines Model Canvas. Com essas informações bem definidas, os passos a seguir podem ser mais administrativos e de negócios, necessitando informações mais aprofundadas.

Como uma incubadora pode ajudar minha Startup?

Entendendo que cada negócio tem suas particularidades, as dicas passadas aqui podem ser pensadas e personalizadas caso a caso. Além disso há os passos seguintes, que precisam de uma maior atenção e acompanhamento. Esse é o momento perfeito para se ter ajuda profissional e uma incubadora de empresas pode oferecer isso. Com isso, se tera um direcionamento pensado e focado diretamente o seu negócio.

Sintetizando Startups e inovação

Durante e depois da bolha da internet, Startups passaram cada vez mais a ser populares, criando soluções e trazendo inovação em diversas áreas. Assim, esse tipo de empresa foi ganhando características cada vez mais definidas, como utilizar tecnologia para trazer inovação e então resolver problemas e criar produtos. Por outro lado, seu campo de atuação foi ficando bem mais abrangente e hoje vemos startups em diversas áreas e, contrariando o que muitos acreditam, sem se restringir apenas ao mundo digital.

Entretanto, esse modelo pode ser desafiador, pedindo dos seus integrantes diversos conhecimentos, além de engajamento e um roteiro a ser seguido. Com isso, é essencial um acompanhamento, para que tudo dê certo nos primeiros meses e anos de vida da empresa, onde entram em cenário as incubadoras, por exemplo. Portanto, o mercado está sempre aberto a inovações e empreender será sempre uma opção, levando Startups ao foco do cenário mundial, que enquanto vão longe, ainda podem estar muito perto de nossa realidade.

Gostou do conteúdo e quer ver mais dele por aqui? Conte para a gente o que você achou nos comentários e mande para aquele seu amigo que tem uma ideia legal e não sabe por onde começar. Já pensando em começar sua Startup? Mande um e-mail para Isadora@incubadorahabits.com.br  e conheça nossos projetos e serviços para te ajudar!!

Posted by Leandro Félix in blog, 0 comments

PROCESSO SELETIVO (2018)

Time de Marketing.

Vem com a gente se aprofundar em empreendedorismo social, tecnologia, desenvolvimento de pessoas, comunicação, programação, criação de conteúdo, organização de eventos, trabalho em equipe e muito mais. Vamos explorar e crescer juntos! 🚀💡

Por que fazer parte desse time? Eu poderia ficar o dia todo escrevendo, mas… Em poucas palavras, você vai:

  • Trabalhar e aprender com pessoas muitooo talentosas, divertidas e com vontade de mudar o mundo! 🌎
  • Participar de workshops especiais para o time e poderá acrescentá-los no jupiterweb;
  • Ter contato com problemas da Zona Leste;
  • Conhecer empreendedores SENSACIONAIS de impacto que fazem parte da rede da Habits 💖
  • Aprender a usar plataformas empresariais (Office 365, Trello, Microsoft Visio, Microsoft Project);
  • Ter horário flexível;
  • Aprender muito na prática;
  • Ter um espaço lindo, aconchegante, com muito café e lanchinhos 🍕🍅🍅🍅🍅🍅🥑🥑;
  • Eu já disse aprender? Ok, parei.

Confraternização interna.

Quais são as nossas áreas e o que elas fazem?

💡 Gestão de Pessoas: A área de gestão de pessoas tem como objetivo melhorar cada vez não só o clima no ambiente de trabalho, mas o desenvolvimento do capital humano da Habits, ou seja, a partir de levantamento de dados e análise dos mesmos buscamos desenvolver estratégias para integrar, alinhar, motivar, estimular e desenvolver os membros do time!

📚 Pedagógico: Responsável por todo o planejamento e execução dos produtos que dão vida a Habits! Como o Coworking, o espaço de incentivo e desenvolvimento de ideias que podem mudar o mundo; a Residência, o programa que torna a ideia cada vez mais real para o mercado; o LabEE, a formação para empreendedores levando-o da ideia até o produto, ou seja, a orientação para concluir o ciclo e o WebDev, a formação para qualquer pessoa com vontade de resolver problemas complexos do mundo real usando a tecnologia como aliada.

💻 Tecnologia: A área de Tecnologia é a responsável por garantir o melhor funcionamento de todas as soluções tecnológicas adotadas pela Habits. Tecnologia trabalha tanto com o desenvolvimento de novos sistemas, quanto com o a implementação de tecnologias já existentes no mercado. Com isso, visamos permitir que o time tenha a estrutura necessária para conseguir sua maior produtividade, assim como gerenciar da melhor forma a informação dentro da Habits, automatizar os processos executador por aqui e, por fim, dar escalabilidade ao nosso modelo de negócio.

🎯 Marketing: A área de Marketing da Habits Incubadora-Escola para o 2º semestre de 2018 será responsável pela comunicação integrada de marketing e pesquisa, com enfoque nas atividades de branding e apoio às demais áreas.

CONFIRA AS NOSSAS VAGAS DISPONÍVEIS: 📋

Clicando nos links abaixo você consegue ter acesso a todas as vagas e suas respectivas funções.

Time de Marketing: clique aqui.
Time de Gestão de Pessoas: clique aqui.
Time Pedagógico: clique aqui.
Time de Tecnologia: clique aqui.

Se interessou por alguma vaga?

INSCREVA-SE AGORA pelo link: http://bit.ly/HabitsPS2018H2

Obs: As descrições de cargos são nortes para os trabalhos que serão feitos, mas não limitam a tarefa da pessoa para que ela faça só isso. Há trabalhos que todos devemos fazer.
· Por exemplo, atender e ouvir pessoas com dúvidas sobre empreendedorismo (com ideias, problemas etc).

Confraternização do time.

QUERO ME INSCREVER NA NEWSLETTER!

Posted by Beatriz Patriota in blog, 0 comments

Inspire-se em quem sabe como fazer acontecer!

“O mundo está mudando e você não pode ficar parado!”

“Novas tecnologias estão ganhando o mercado”

“Nova Startup, lança plataforma que balança a estabilidade do mercado”

Quem nunca ouviu essas frases chamativas na manchete de alguma notícia? Claro que todos nós queríamos que nossas empresas estivessem nessas manchetes. Na verdade, eu queria, não sei você.

Quem dera, ser empreendedor fosse um trabalho de CLT, 8 horas por dia, VT, VR, férias e tranquilidade no final de semana. Pois é amig@, essa profissão está mais para um estilo de vida de inquietude, do que uma fonte de renda.

Pudemos notar muito bem isso durante o Dia da Inspiração, lá no Impact Hub. Esse evento foi idealizado como extensão do programa de formação, Espyral, que é uma realização da Habits Incubadora de Impacto da USP junto com a Agência USP de Inovação (AUSPIN), em parceria com a Fundação Arymax.

Programa Espyral

OEspyral, é uma formação totalmente embasada na Teoria Linear de Mudança e em metodologias como Design Thinking, buscando formar empreendedores de impacto.

São quatro meses que os 20 grupos selecionados terão para validar se sua proposta inicial do projeto soluciona um problema real da sociedade, prototipar essa ideia, propor um modelo de negócio viável, aprender sobre avaliação de impacto e como buscar de investimento para, no final do curso, apresentar esse novo negócio.

O Espyral terá outros eventos abertos ao público como o Dia da Inspiração, que serão divulgados na página da Habits, fique ligad@ 😉

Dia da inspiração

Aideia proposta nesse dia foi trazer quatro empreendedores que estão causando impacto social no Brasil e no mundo, para contar um pouco da sua história e de sua trajetória. O evento foi mais um bate papo dinâmico e troca de experiências.

Os pontos primordiais abordados por todos os palestrantes foram a inquietude em relação a algo que não está caminhando certo e a vontade de propor melhorias para aquela situação.

O primeiro palestrante foi Ricardo Sudário, seu ponto forte é desenvolver soluções tecnológicas educacionais que ajudam a resolver problemas sociais complexos, ele afirma que o primeiro passo para propor algo novo é conversar com muitas pessoas diferentes e entender quais são suas reais necessidades, assim a solução será muito mais assertiva.

Ele já esteve à frente de duas startups de educação, a primeira foi a Quântica, que hoje é mais voltada para treinamentos empresarial, e a segunda é o Sílabe, a plataforma online que auxilia professores do Brasil todo a dinamizar o ensino em escolas.

O Ricardo foi consultor do Banco Mundial, trabalhando no projeto Evoke, o game que promove o engajamento dos jovens em problemas reais do mundo. Atualmente ele é diretor da Escola de Políticas Públicas que promove melhoria da gestão pública, fomentando a realização de uma sociedade mais justa e democrática. E suas empresas estão a todo vapor.

Ele finalizou seu discurso com a frase:

“Continuo o aprendizado. Acreditava que impacto social é coisa escrita, mas é através do querer fazer e aprender que o impacto se realiza”.

A fundadora do Vetor Brasil, Joice Toyota, também compartilhou um pouco da sua história e dos desafios de trabalhar no governo. Ela disse que não se via com empreendedora na época,

“eu não era descolada, nem tinha esse perfil cool nerd”, mas ela sempre quis mudar as coisas que estavam ao seu redor.

A Vetor Brasil é uma ONG que usa o conhecimento de recém-formados em universidades para criar planos de desenvolvimento de pequenos municípios. É através de uma capacitação intensa de 12 meses desses jovens, que a Vetor promove melhorias no Brasil inteiro.

Apesar de estar no mercado desde 2014, apenas, o Vetor é hoje uma ponte entre trainees e políticos. As vagas para o programa de trainees são limitadas e bastantes concorridas, o último processo teve 14mil inscritos para apenas 100 vagas. O projeto da Joice, agora, é conseguir mais força para que a ONG seja escalável.

Falando em problemas e soluções, o palestrante Paulo Tiroli, abordou o tema Design Thinking. Ele atua na área de marketing na consultoria de inovação, a Echos.

Seu enfoque foi bem concentrado em saber fazer o uso correto dessa metodologia. Ela é baseado em três principais valores: empatia (qual a dor do outro), colaboração, experimentação.

Finalizando o dia com chave de ouro nossa noite, ouvimos o Rajan Patel, ele é indiano, estudou em Stanford e veio para o Brasil especialmente para compartilhar conosco sua experiência com empreendedor. O Rajan criou de uma incubadora para bebês, que salvou mais de 250 mil de crianças no mundo inteiro.

Ele contou como começou a empreender e as dificuldades em validar aquele primeiro produto. Além disso, se inserir no mercado e vender essa novidade não foi tarefa fácil, apesar de todas as vantagens comprovadas do produto.

Ele fundou uma ONG chamada Dent Eduacation que é responsável por empoderar jovens no mundo todo, através do Design Thinking para mostrar que qualquer pessoa é capaz de solucionar problemas e fazer a diferença.

O Dia da Inspiração foi realmente proveitoso para mim. Foram quatro horas gostosas de bate papo, com histórias cativantes.

Dá para perceber que existem muitas técnicas disponíveis no mercado sobre empreendedorismo, muita forma de fazer acontecer e as frases citadas no título desse texto, com certeza, são reais. O ponto que nossos palestrantes trouxeram foi de que nós somos protagonistas de toda mudança que queremos ver.

Conversar com pessoas e descobrir o que está acontecendo de errado são os primeiros passos para uma solução assertiva. Se o insumo principal do seu negócio não for pessoas, provavelmente, estará fadado ao fracasso. Então promova impacto, se envolva com esse universo empreendedor e tome esse estilo de vida como primeiro passo para gerar impacto na sociedade.

Ah só para fechar, nosso próximo post será exclusivo sobre o Rajan e toda a contribuição que ele trouxe durante a semana que esteve à frente do projeto Espyral 😉

QUERO ME INSCREVER NA NEWSLETTER!

Posted by Beatriz Patriota in blog, 0 comments

O que é empreendedorismo?

Pare um pouco agora e tente imaginar como é o seu dia a dia. Você está satisfeito com ele? Ou será que você tem muitos problemas e não sabe como resolver?

Bem, é realmente difícil imaginar alguém que está completamente satisfeito com o cotidiano que leva. Na realidade, ter problemas é algo tão normal que não ter problemas é, por si só, um problema!

Como seria sua vida se toda sua ação fosse destinada a resolver o problema dos outros?

Consegue imaginar como seria viver resolvendo problemas?

Então…

… é exatamente isso que um empreendedor faz!

Um empreendedor é alguém que olha para as coisas do dia a dia e pensa em como tornar a vida das pessoas melhores. Não apenas resolver problemas, mas resolver de forma proativa! Ou seja, sem que alguém precise dar uma ordem ou pedido. Você pode até pensar que isso só é possível com a tecnologia ultra moderna. Mas existem muitas outras formas de inovar e melhorar a vida humana.

Um grande exemplo disso está no aplicativo Uber. Lembra como era sua vida antes dele?

Se você não se lembra, ou não tinha o hábito de pegar táxis, eu explico. Se alguém precisasse ir a algum lugar, primeiro era necessário chamar um táxi. Isso era possível indo até a rua ou ligando. Depois que se conseguia chamar o veículo, o próximo passo era dizer para onde queria ir. Por fim, após o término da viagem, ainda era preciso pagar o motorista.

É de se imaginar que alguns problemas viessem a ocorrer durante o processo. Pra começar, você poderia ter dificuldades em chamar um táxi. Além disso, o motorista poderia se recusar a fazer a viagem, se não gostasse do trajeto ou por outro motivo. E pra piorar tudo, você não tinha ideia de quanto ia gastar! E se você precisasse pagar em dinheiro e o motorista não tivesse troco?

Não é à toa que foi diante a esses problemas que o Uber foi idealizado! Seus fundadores, Travis Kalanick e Garrett Camp, tiveram dificuldade em chamar um táxi quando imaginaram como seriam suas vidas se tivessem a capacidade de apertar um botão e chamar um carro. É nesse momento que o aplicativo começa a surgir…

Em geral, dizemos que o empreendedorismo é a capacidade de idealizar e propor soluções. É por esse motivo que, para ser um empreendedor, não é necessário abrir uma empresa.

Hoje em dia, com a tecnologia da informação as mudanças no mercado acontecem muito rapidamente. Como consequência, as organizações precisam constantemente repensar em seus modelos e propor soluções. O espirito de empreendedorismo deve estar presente em todas as organizações, pois, sem isso, a chance de uma empresa sobreviver é extremamente baixa.

O empreendedor não é alguém que resolve um problema e corre para comemorar. Na verdade, o cenário é muito diferente! O empreendedor precisa estar disposto para resolver problemas o tempo inteiro, pois eles eventualmente surgirão.

Nos próximos dias, tente listar os problemas que você enfrenta todos os dias. Você consegue propor soluções a esses problemas?

Se você quiser saber mais sobre empreendedorismo, fique de olho nas próximas publicações nessa página!

Abraços 😉

QUERO ME INSCREVER NA NEWSLETTER!

Posted by Beatriz Patriota in blog, 0 comments

#O que é a Habits e tudo o que ela promove?

Uma visão cotidiana para entender o que é uma incubadora tecnológica social e como ela pode dar retorno à sociedade e à sua nova ideia de negócio.

Todo mundo conhece alguém (ou já foi essa pessoa) que vendia algum tipo de comida na escola quando criança. Balas, chicletes, chocolates, rapaduras: valia de tudo! O importante era oferecer algo atrativo e por um preço acessível, seja para:

  1. oferecer mais opções de compra aos alunos em relação à cantina da escola;
  2. oferecer, por um preço mais acessível, comidas que são vendidas nessa mesma cantina;

                                                                                                  Muitas vezes, a primeira iniciativa empreendedora de muitos de nós.

Uma variedade imensa de possibilidades de tentar ganhar alguns trocados para comprar um tênis novo, não?

Bom, mas por que começamos um texto que vai falar sobre um habitat de inovação social com uma história de criança? Não, não estamos pensando em alguma solução para ajudar crianças a venderem seus doces e ganharem uma graninha (ainda).

A questão é que sempre que algumas palavras são ditas em um texto qualquer (empreendedorismo, impacto social, incubadora, coworking, etc) elas soam familiares, porém não exatas em seu sentido. E, por isso, é muito mais fácil associar tudo isso a histórias cotidianas, certo? Porque o todos esses termos só acontecem no ambiente mais real de todos: o lado de fora das nossas casas. Achamos que vai fazer mais sentido.

 

Será que eu pergunto o que significa tudo isso ou as pessoas vão me achar um idiota?

                                              

Bom, começando pela criança, podemos dizer que ele(a) é um(a) empreendedor(a). Por quê? Simples: um empreendedor, em sua essência, é uma pessoa que quer desenvolver uma ideia e oferecer uma proposta de valor à população por meio de sua iniciativa pessoal (PS: Você não precisa ser dono do negócio para empreender!). Esse negócio — nesse caso, a venda de doces — seria o empreendimento. Podemos descrever empreendedorismo como:

“Empreender é acreditar no seu sonho, fazer com que mais pessoas acreditem nele e transformar tudo isso num sonho de um monte de gente. Sozinho fica pequeno. Tem que ser em time.” Endeavor

Entretanto, o objetivo principal do seu negócio é a compra de um tênis. Ou seja, o lucro do empreendedor. Caso a criança (vamos chamá-la de Carla) criar o seu negócio com o propósito de atender a alguma demanda social, e este não produzirá dividendos (ou seja, um negócio que retorna o valor investido e sua produção é voltada aos objetivos sociais), o empreendimento dela passa a ser um negócio social. Este breve vídeo de 4 minutos pode explicar muito bem o que seria um negócio social, além de nos mostrar uma linda história.

Ótimo! Conseguimos riscar da nossa lista um total de 02 conceitos que eram “quase” compreendidos.

Agora vamos pensar na cidade aonde Carla mora. Provavelmente, existem outros(as) empreendedores(as) e, principalmente, pessoas que querem desenvolver seus negócios!

Seria incrível se houvesse um local onde as ideias de negócios podem ser desenvolvidas através de educação, planejamento e muita mão na massa, né? Já que:

  1. Empreender custa tempo;
  2. Empreender custa dinheiro;
  3. Para empreender, precisa ter conhecimento;
  4. Sozinho (como diz a descrição sobre o empreendedorismo) fica muito pequeno;

Pois existe sim! E essas são as incubadoras. Uma incubadora, no sentido do empreendedorismo, trata-se de um local onde as pessoas podem desenvolver suas ideias de negócio (de maneira rápida, simples e barata) para que elas sejam transformadas em negócios rentáveis e bem consolidados. Cada incubadora tem a sua maneira de desenvolver os negócios. Algumas são mais voltadas à tecnologia, outras ao ensino, e algumas com o intuito de produzir o maior impacto social possível.

Aqui na USP Leste, temos uma dessas incubadoras. A Incubadora Habits foi criada com o intuito de ser um canal que liga o conhecimento produzido na maior universidade da América Latina com práticas de mercado para que sejam gerados negócios de impacto social (de verdade).

Nesse espaço (inovador por dentro) que existem uma grade quantidade de empreendedores e pessoas interessadas em aprender,                 empreender e trazer novas soluções à sociedade!

A Habits procura atuar nos três ramos simultaneamente e de maneira unificada!

  • Somos tecnologia, porque temos cursos voltados ao aprendizado de tecnologias web (chamado WebDev) e um espaço maker para quem quiser prototipar.
  • Somos ensino (ou melhor, escola), porque através do nosso pertencimento à Universidade mais empreendedora do Brasil, segundo a Brasil Júnior, conseguimos transmitir o conhecimento produzido na academia e trazê-lo ao mercado! Um dos exemplos disso é o LabEE, nosso programa de co-criação e desenvolvimento de ideias a partir do ensino de práticas de negócio.
  • E, por fim, mas não menos importante, somos social (❤), visto que sentimos a necessidade de retornar a sociedade o investimento proporcionado pela população às instituições públicas de ensino. TODA E QUALQUER empresa que queira se desenvolver aqui necessita apresentar o aspecto social em sua essência (sim, isso é muito sério).

Bom, acho que já é possível falar para a família o que é uma incubadora e o que é a Habits, certo? Ainda não? Acessa esse link aqui para nos conhecer melhor!

Agora falando sobre como a Habits funciona, nós podemos dividi-la em três partes: nosso coworking, nossos programas e nossa residência!

/Coworking

Lembra da Carla? Então, um espaço de coworking seria um ambiente compartilhado onde pessoas como ela (e como você também) podem usufruir de alguns serviços para conseguir realizar seu trabalho (ou uma parte dele). No caso da Habits, temos um espaço aberto ao público, com WiFi de alta velocidade, café (❤) e um ambiente muito acolhedor para que as pessoas possam trabalhar, estudar e, principalmente, compartilhar conhecimento! Assim, Carla pode chegar a hora que quiser e usufruir do espaço para pensar em melhores maneiras de desenvolver o seu negócio! Essa seria a primeira das três partes da Habits!

/Programas

Legal, né? Agora, após apresentar o espaço de coworking, quem gostar da ideia da Habits — e quiser aprender mais sobre tecnologia e empreendedorismo — pode se interessar muito pelos nossos programas. Como citado acima, qualquer pessoa pode se inscrever em um deles (seja o WebDev ou o LabEE), basta ter vontade de aprender e muita disposição para errar fazendo! Não é necessário ter nenhum conhecimento prévio, viu?

/Residentes

Perfeito! Agora pense naquelas pessoas que já possuem uma ideia de negócio bem desenvolvida e realmente quer iniciar o seu empreendimento e começar a incrível (e difícil) jornada do empreendedor. O primeiro passo é ter um lugar para chamar de seu e um apoio de mentores e de uma comunidade super engajada para auxiliar o negócio nos seus primeiros meses, certo? É por isso que existe nosso programa de residência! A terceira e última parte da Habits.

Nela, é possível alugar uma sala com mesas, cadeiras, telefone e acesso aos diversos programas de capacitação promovidos para atender às necessidades de nossos residentes feito pela equipe da Habits. Basta entrar em nosso processo de residência e apresentar o seu negócio! Mas lembre-se, por gostarmos tanto de negócios sociais que ele se tornou um pré-requisito para que seu negócio se instale dentro da maior universidade da américa latina, em um ambiente de muita inovação!

Um ambiente de muita inovação!

                                                                       É sempre bom resumir o que é a Habits, certo?

Quanta informação! Mas então, seja você uma pessoa que quer estar em um espaço compartilhado para se reunir com pessoas parecidas com você, ou uma pessoa (como a Carla) que quer conhecer mais sobre empreendedorismo e desenvolver melhor a sua ideia através de nossos programas ou, por fim, uma ou mais pessoas envolvidas em um novo negócio já previamente estruturado: a Habits é o local ideal para você!

Quem sabe aquela sua ideia antiga não se torne um negócio que possa trazer retornos à você e à sociedade? Existe algo melhor do que isso?

Venha nos visitar! ❤

Texto escrito por Gabriel Christianetti

Posted by Beatriz Patriota in blog, 0 comments

Por que empreender é importante?

Você já parou para pensar no papel do empreendedorismo no mundo?

Parece que é uma pergunta meio aleatória junto com a pergunta do título deste texto, mas empreender não está tão longe da sua realidade. Seja qual for sua resposta, com certeza sua vida ficou muito mais fácil graças a ele!

Um exemplo de empreendedorismo são as redes sociais. Elas são resultado de uma ideia que foi pensada para facilitar o processo de comunicação e interação social. Tanto que hoje a gente usa até como ferramenta de conquista, não tem nada mais meigo do que marcar o/a crush naqueles vídeos fofinhos de animais, né?!

Mas você tem ideia de quanto essas redes sociais valem hoje? 2,13 bilhões de pessoas acessam o Facebook todos os meses, tendo no ano passado (2017) um faturamento de US$ 12,9 bilhões de acordo com o próprio Facebook.

Quem diria que resolver problemas poderia gerar um impacto tão grande! Existem infindáveis formas de empreender, não é só criar negócio! Empreendedores estão presentes na pesquisa, no governo, nas artes, em qualquer lugar. Eles são responsáveis pelo crescimento econômico e pelo desenvolvimento social.  

 

No decorrer dos anos, o empreendedorismo cresceu muito. No Brasil, empreender gera mais de 50% de empregos, e o número de brasileiros com negócio próprio também aumentou, seja comandando um salão de beleza, ou uma padaria, essas pessoas empreendem. Essas pessoas, na sua visão não possuem opções de trabalho, e por necessidade, para sustentar sua família, resolvem abrir um negócio próprio, sem nenhum planejamento na maioria das vezes.

As empresas abertas por esses motivos, tendem a fechar, pois elas não conseguem se manter no mercado devido a falta de planejamento. Por outro lado, existem as empresas que abrem por oportunidade, as pessoas que as criam, fazem um planejamento prévio e tem em mente o que desejam para obter lucros.

Antes de abrir um negócio, mesmo que necessite muito, planeje, planeje e planeje!

QUERO ME INSCREVER NA NEWSLETTER!

Posted by Beatriz Patriota in blog, 0 comments